sexta-feira, 22 de julho de 2011

Kubik no Público (Ípsilon)

Clicar nas imagens para aumentar.



“Victor Afonso é um dos pontas-de-lança da electrónica esquisita e arriscada e é já uma velha glória da música portuguesa que arriscou uma estratégia musical de choque e pavor. Ao terceiro disco Kubik abandona o fato de terrorista de laboratório em favor do de dançarino de salão galáctico: algures nos cabarets de Marte, quando houver jukeboxes revivalistas da vida na Terra será esta a música que se vai dançar. Deixemo-nos de tretas: ”Psicotic Jazz Hall” é um grande disco em qualquer parte do mundo”.
João Bonifácio, Público (Ípsilon)

Sem comentários: